EVENTOS

quinta-feira, 14 de abril de 2011

ARMA DE FOGO: SIM OU NÃO ?

Devido o massacre de Realengo (Rio) os líderes dos partidos no Senado Federal, resolveram agilizar ontem (13.04), a tramitação do projeto de decreto legislativo que estabelece a realização no dia 02 de outubro, de um plebiscito, para saber se o comercio regular de armas de fogo deve ser banido do País. Uma pergunta onde foi que o atirador comprou as armas? As notícias informam que foi no comercio irregular. O uso da arma de fogo independe do comercio regular, pois as armas contrabandeadas chegam ao país mais fácil do que água nas torneiras de muitas residências.
Terminada a reunião da liderança no Senado, o presidente da Casa, José Sarney, afirmou que o projeto tramitará em regime de urgência, mas a consulta só será realizada, se o projeto for aprovado pela Câmara de Deputados e pelo Senado. Será que estamos precisando responder a pergunta: "o comércio de arma de fogo deve ser proibido no Brasil?". Ou precisamos de outras ações?
Em 2005, a nação já respondeu a esse questionamento através de uma consulta popular que disse sim a comercialização de armas de fogo. A esperança dos legisladores é que emocionada pela tragédia de Realengo a população dê um NÃO ao comercio regular de armas de fogo; e o comercio irregular como fica?
O Brasil em 2005 gastou R$ 270 milhões para ouvir um "não" da população a proibição da venda de armas de fogo e não tem garantia nenhuma que a resposta seja diferente hoje, pois a população em sua maioria entende que pode ser proteger com uma arma de fogo; creio que deve ser pela síndrome do cangaço. Estima-se que no Brasil há mais de 8 milhões de armas ilegais nas mãos de bandidos e loucos atiradores.
Sabemos que o crime de morte é muito antigo no meio da sociedade. Caim e Abel são protagonistas desta tragédia na vida humanidade e que só terminará com a volta do Senhor Jesus. Fala-se no Estatuto do Desarmamento, do Idoso, da Criança, Lei Maria da Penha como instrumentos inibidores da violência, mas parece que eles são apenas letras natimortas.
As leis não fazem sentidos quando os homens não as respeitam e a falta de respeito provém de um coração que não conhece o Bem. Precisamos das leis, mas precisamos também de mudança de mente e isso só acontece quando Cristo entra no coração da pessoa. A nação brasileira precisa muito mais de Deus do que mais uma lei, até porque estamos precisando de uma LEI que faça cumprir as leis já existentes.

Um comentário:

Anônimo disse...

A sociedade brasileira esta agonizante o povo atirou no próprio pé, envergonhado do que fez se esconde uns atrás dos outros para não ter que falar do erro que fez

O governo por sua vez, fecha os olhos, o que tinha a fazer foi feito. quase dois anos de propaganda incitando o povo a se desarmar como única solução a combater,o bandidismo e educar os vândalos,milhares de reais foram gastos para incutir na cabeça do povo que desarmar o cidadão de bem, seria o melhor caminho,na verdade,esses valores deveriam ser gastos não como desarmamento,mas sim como adestramento gratuito para as famílias de bem,de como se utilizar desses artefatos (arma de fogo),defesa pessoas é um direito do cidadão,estes trancados em casa, e nos estabelecimento,onde quer que seja,ninguém tem mais segurança,o cidadão ficou desamparado e vulnerável e entregue a própria sorte.

Melhor dizer; entregue de bandeja aos marginais que por sua vez, certos de que não encontrarão nenhuma resistência... tem esses livres acessos para abordagem quer seja nas ruas ou em casa terão esses livre e franca abordagem.Ministério Publico, OAB, deveriam criar cartilha de deveres do estado e direito do cidadão onde responsabilizaria o estado com ação indenizatória toda vez em que for esfoliado de seus bens e da vida.A meu ver a única maneira de mostrar o dever er obrigação continuada do estado e garantir plena segurança do povo que,por sua vez,fora convocado a assinar sua sentença. Agora a sociedade como eu disse "agonizante" sem saber para onde ir totalmente desamparada, precisa ser orientada, com a máxima urgência, ou fazer com que o cidadão com seus próprios meios se para militarize ao primitivismo humano. Até 2007 estou um numero considerável de roubos em domicílios ,ruas e estabelecimentos, de lá para cá,não só aumentou esse números de roubos,mas agora acompanhado de morte (latrocínio) só não vê quem não quer,mas triplicou os latrocínios,caso o cidadão não grite com fervor,vamos nos sucumbir.Isto é de responsabilidade do estado,um direito do qual não podemos abrir mão,temos que buscar recursos a tal ponto de enquadrar o estado para que se coloque na vanguarda a dar garantia de vida e bens da sociedade,a legitimidade do direito de defesa esta abalada.








Nota: Aquele os quais tiveram a infeliz idéia “desarmamento" deverá estar muito triste porque com isso focou o cidadão... ou seja as famílias desamparadas e expostas sem a mínima prova de segurança.








Paulista 2011



vizite meu blog
http://blog.clickgratis.com.br/sinaldostempos/