quinta-feira, 21 de julho de 2011

Sgtti na 3ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DO IDOSO NO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE

A convite da Prefeitura Municipal do Cabo de Santo Agostinho, o Rev. Pinho Borges, Sgtti participou nesta quarta (20/07), da 3ª Conferência Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, com o tema “O compromisso de todos e todas por um envelhecimento digno no Brasil”. O evento aconteceu no Centro Cultural Mestre Dié, no distrito de Ponte dos Carvalhos, e contou com a parceria do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (Comdepi). Na ocasião, foram definidas as propostas já vindas das pré-conferências e que seguirão para as edições estadual e nacional.
Para o Sgtti, o evento é uma grande da comunidade idosa de buscar garantir os direitos constitucionais reconhecidos pelo Estatuto do Idoso a fim de promover propostas e reformulações das políticas públicas para os idosos do município.
O Sgtti apresentou as oficinas: Pessoa Idosa: protagonista da conquista e efetivação dos seus direitos e  Fortalecimento e integração dos conselhos: existir, participar, estar ao alcance, comprometer-se com a defesa dos direitos dos idosos.
Finalizando a programação do dia, o Rev. Pinho Borges, orou a Deus agradecendo pela realização do evento e pela oportunidade do seguimento da pessoa idosa poder debater suas necessidades.

LONGEVIDADE: UM DOM DE DEUS

A Bíblia revela que o vigor e a beleza da idade avançada são dons de Deus, pois isso engana-se quem pensa que força e beleza estão na mocidade porque é na pessoa idosa que está a memória coletiva.
 A Bíblia revela que a melhor fonte da juventude é ser fiel a Deus caminhado para o futuro nos trilhos do passado. Quando se perguntavam a um jovem: “De onde vem tanta sabedoria?” A resposta: “Nossos pais nos contaram” (Sl 44,2).
A longevidade não compete com a mocidade, pois as duas se fundem como a locomotiva e os vagões de um trem; mudamos de vagão, mas vagões e locomotiva chegam juntos ao mesmo destino.
A história bíblica nos mostra muitos idosos como exemplo de vida.
Abraão, um idoso, entrou para a história como o Pai da fé judaica, cristã e muçulmana; Isaac, filho de Abraão, quando idoso e cego, pediu que lhe preparasse uma refeição antes de morrer, abençoou o filho mais velho Esaú dando continuidade à família; Moisés já era idoso quando Deus lhe confiou a missão de libertar o povo da escravidão do Egito e comandar o Êxodo.
Queridos. Nós idosos não queremos ser jovens, pois sabemos que a verdadeira juventude estar no eterno aprendizado; para nós que cremos na ressureição a longevidade é o constante aproximar-se do Criador.
Davi no Salmo 71,9 clama: “Não me rejeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se for acabando a minha força” este é clamor de toda a humanidade.
No Salmo 92,13 -16 as palavras são proféticas: “Mesmo na velhice darão frutos, serão cheios de seiva e verdejantes, para anunciar quão reto é o Senhor: meu rochedo, nele não há injustiça”.
Lucas inicia o relato do Evangelho enfatizando um casal idoso como atores da sua própria história: Isabel e Zacarias. Deste casal nasceu João Batista, o maior dos profetas, segundo Cristo Jesus.
Paulo relata que do corpo centenário de Abraão, e da madre fechada de Sara, nasce Isaac (Rm 4,18-20).
O idoso Simeão colocou Jesus nos braços e exclama: “Agora, Senhor, deixas teu servo ir em paz, porque meus olhos viram a tua salvação”. Ana, aos 84 anos, diante de do menino Jesus agradece a Deus pela chegada do Libertador.
Nicodemos, idoso e membro do Sinédrio, perde o medo do policiamento religioso da sua época e se revela seguidor de Jesus.
Que belos exemplos de envelhecimento consciente de que a longevidade é uma benção de Deus, por isso não discrimine a pessoa idosa porque quem assim procede discrimina o seu próprio futuro.
Rev. Pinho Borges

SNPI no Natal da Sinodal

SNPI no Natal da Sinodal

AS POSTAGENS MAIS VISITADAS