segunda-feira, 17 de outubro de 2011


O trabalho presbiteriano na Região Sul do Brasil vem se desenvolvendo através de uma ação missionária das igrejas e pastores locais com o apoio da IPB. O município de Nova Petrópolis está localizado na Serra gaúcha e foi fundado em 7 de setembro de 1858, por imigrantes alemães oriundos da Pomerânia, Saxônia, Boêmia e do Hunsrück, dos quais descendem a maioria dos seus habitantes. A cidade ainda não tem igreja presbiteriana, mas já está no coração dos presbiterianos a implantação da nossa igreja no local. No sábado (14), no horário da tarde os participantes do Encontro realizaram uma sistemática distribuição de Bíblias e folhetos no centro da cidade numa clara demonstração que logo, logo estaremos presente na cidade.


No período de 14 a 16 de outubro, o Secretário Geral do Trabalho da Terceira Idade, Rev. Pinho Borges, participou do Encontro Regional de Treinamento da Região Sul, promovido pela Confederação Nacional de SAFs. O Evento aconteceu na Pousada Reviver na cidade de Nova Petrópolis no Rio Grande do Sul.

Na ocasião o Sgtti, apresentou o trabalho realizado pela SGTTI, através da Oficina Instrumentos de Trabalhos. Também foram distribuídos exemplares do Estatuto do Idoso a todos no encontro. Foi possível ao Sgtti manter contato com a liderança presbiteriana da Região Sul para que no próximo ano aconteça um Workshop na Região Sul do Brasil.

Agradecemos a Ana Maria Prado, Presidente da CNSAFs pelo convite e oportunidade para divulgar o trabalho da Secretaria Geral do Trabalho da Terceira Idade da IPB.

Justiça proíbe operadora de reajustar plano de saúde por mudança de faixa etária

O Ministério Público pediu à Justiça a execução provisória da sentença judicial e, com isso, a operadora Amil Assistência Médica está proibida de efetuar qualquer reajuste em seus planos de saúde em razão da mudança de faixa etária do segurado a partir de 60 anos de idade, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. A decisão, em vigor desde 8 de julho, é válida para todos os seus contratos da Amil.
A operadora foi condenada em primeira instância em uma ação civil pública movida em 2007 pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, por intermédio da Promotoria do Idoso, em razão do descumprimento ao Estatuto do Idoso, que proíbe os aumentos das mensalidades dos planos de saúde em razão da mudança de faixa etária a partir dos 60 anos.

Extraído de: Ministério Público do Estado de São Paulo - 10 de Outubro de 2011

 

Banco é condenado por débitos indevidos em aposentadoria

Empréstimos inexistentes foram descontados do benefício previdenciário do idoso
O Banco Votorantim S/A deverá indenizar, em R$ 4 mil, aposentado que sofreu descontos indevidos em seu benefício previdenciário A instituição também deverá devolver o valor debitado.
A decisão foi da Comarca de Barroquinha (CE)
De acordo com os autos, o idoso percebeu, em meados de 2011, que havia débitos em sua aposentadoria Os descontos eram relativos a dois empréstimos consignados No entanto, o autor nunca celebrou...
Ver notícia completa em: Jornal da Ordem - Rio Grande do Sul

Comissão de Justiça aprova criação do Fundo Estadual dos Direitos do Idoso

Pernambuco terá um novo instrumento de captação e aplicação de recursos financeiros nas políticas em defesa da pessoa idosa. A Comissão de Justiça da Assembleia aprovou, nesta terça (11 de outubro), o projeto de lei do Governo do Estado que cria o Fundo Estadual dos Direitos do Idoso (Fedipe).
Aprovada por unanimidade, a matéria informa que os recursos do Fedipe serão provenientes de diversas fontes, como dotações orçamentárias do Estado, transferências recebidas da União, contribuições de pessoas físicas e jurídicas deduzíveis do imposto de renda e verbas resultantes de convênios firmados pelo Governo de Pernambuco.
 Relatado pela deputada Teresa Leitão, do PT, o projeto ainda determina que o Fedipe será coordenado pelo Centro Estadual de Direitos do Idoso (Cedi). Caberá ao Cedi, definir a programação que anualmente integrará o Plano Plurianual do Estado (PPA) e a Lei Orçamentária Anual (LOA), bem como fiscalizar a aplicação dos recursos e a execução das ações por eles financiadas.
 Extraído de:

Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco 

Estado é obrigado a custear passagens a idoso com câncer

O Estado de Rondônia terá que fornecer passagens e ajuda de custos ao acompanhante e paciente, para que este possa dar continuidade na realização de tratamento no Hospital do Câncer de Barretos - SP. A determinação, do desembargador Walter Waltenberg Silva Junior, membro das Câmaras Especiais Reunidas do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, foi publicada no Diário da Justiça desta quinta-feira, 13 de outubro de 2011.
Extraído do Tribunal de Rondônia

Seria engraçado caso não fosse a mais pura verdade!

Seria engraçado caso não fosse a mais pura verdade!
Na fila do supermercado o caixa diz uma senhora idosa que deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não eram amigáveis ao meio ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse: “Não havia essa onda verde no meu tempo.”
O empregado respondeu: "Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com nosso meio ambiente. "
"Você está certo", responde a velha senhora, nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente.
Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo.
Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios.
Caminhamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.
Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o meio ambiente.
Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis.
Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente, naqueles dias.
Naquela época tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós.
Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plastico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos, não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente.
Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lamina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época.
Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou de ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas.
Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Então, não é risível que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?

SNPI no Natal da Sinodal

SNPI no Natal da Sinodal

AS POSTAGENS MAIS VISITADAS