segunda-feira, 2 de julho de 2012

SGTTI EM RECIFE


Nos dias 30 de junho e 01 de junho o Rev. Pinho Borges participou de eventos no Presbitério Centro de Pernambuco

No sábado participou da Reunião Extraordinária do PCPE.
No domingo esteve pela manha na IPB de Sucupira e a noite na IPB de Tejipió.

Idosos procuram formalização das atividades


Minas Gerais possui quase seis mil empreendedores individuais (EI) com mais de 60 anos, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Para complementar a renda da família ou para aproveitar a fase de crescimento do país, alguns deles buscaram a formalização já na terceira idade, quando grande parte pensa em se aposentar. 
Consuelita da Consolação, 76, já é aposentada e mora em Belo Horizonte. Costureira desde jovem, ela voltou ao mercado formal em 2011. Sempre trabalhei com meu esposo, mas ele sofreu um acidente e ficou um tempo afastado das atividades. Aproveitei que eu sabia fazer alguma coisa e voltei a trabalhar para ajudar meus meninos nos estudos, diz. Mãe de três filhos, Consuelita vende roupas algumas feitas por ela na loja Lilita Modas. 

Com a formalização, ela se aproveita benefícios garantidos aos EI, que podem ajudar nos negócios. Consuelita tem três máquinas de cartão de crédito. Tive muitos prejuízos ao vender e as pessoas não pagarem. Com essa máquina, a gente já vai recebendo de acordo como vai vendendo, diz. 

Segundo o analista do Sebrae em Minas Gerais , Haroldo Santos, a realização de um sonho de se fazer o que gosta e ser valorizado por isto é um dos motivos que leva as pessoas com mais de 60 anos a formalizarem-se como EI. 
A Semana do Empreendedor Individual, que começou nesta segunda-feira (02) e termina no sábado (07) capacitará os EI formalizados de todo o país. Em Minas, os atendimentos serão realizados até sexta-feira (06). Durante o evento, empreendedores ainda não formalizados receberão orientações sobre como obter o registro no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e poderão participar de oficinas e palestras.

Extraído de: Sebrae SP

Aposentadoria está na raiz da violência doméstica contra o idoso


A informação faz parte de estudo, com dados de 2008 a 2011, da Central Judicial do Idoso, órgão, ligado ao Tribunal de Justiça, ao Ministério Público e à Defensoria Pública, no Distrito Federal. O filho (ou filha) supõe que os pais por conta da idade não têm mais condição de decidir sobre o uso do dinheiro da aposentadoria ou pensão e se apossa de tudo.
Para a promotora da Pessoa Idosa e da Pessoa com Deficiência, Sandra Julião, isso é uma violência ao aposentado na sua liberdade de decisão. "A pessoa idosa vai delegando os seus atos e a sua autonomia, abrindo mão dela mesma. E fica fragilizada". A promotora acrescentou que o descaso com os idosos é mais complexo do que parece.
De acordo com ela, muitos dos casos atendidos pelo Ministério Público têm a ver com familiares com dependência de drogas ou álcool, que avançam sobre as aposentadorias dos idosos para suprimento do vício.
A pesquisa apontou que 60% dos casos de violência são cometidos contra a mulher, pensionista ou aposentada. A presidente do Conselho do Idoso do DF e coordenadora do Núcleo de Defesa do Idoso da Defensoria Pública, Paula Ribeiro, afirmou que os dados refletem pesquisas feitas em âmbito nacional.
Matéria publicada no site Aposente-se no dia 29 de junho de 2012
Autor: site Aposente-se
Extraído de: Defensoria Pública do Distrito Federal 

IPB Tejipió. 96 anos

IPB Tejipió. 96 anos

AS POSTAGENS MAIS VISITADAS