sexta-feira, 28 de junho de 2013

UNATI DE LONDRINA É REATIVADA

LONDRINA(PR) - Após um ano de interrupção, universidade da terceira idade volta a atender comunidade com oficinas e palestras.
Thereza Bertoldi participou de vários cursos, como artes plásticas e artesanato: "Eu saía de lá rejuvenescida". 
Quando as filhas se casaram em 2011, a professora aposentada Thereza Bertoldi, de 65 anos, de Londrina, percebeu a necessidade de preencher o tempo e a cabeça. Foi nessa época que ela conheceu a Universidade Aberta da Terceira Idade (Unati), programa da Universidade Estadual de Londrina (UEL), e decidiu participar. De lá para cá, a aposentada "pegou" o gosto pela atividade física, aprendeu a liberar a criatividade na produção de objetos artesanais e ainda fez vários amigos.
 Assim como Thereza, mais de 1,2 mil pessoas descobriram outras perspectivas para esta nova etapa da vida com a Unati, criada em 1994. Após um ano de interrupção do programa, por causa do processo de aposentadoria da ex-coordenadora Sandra Perdigão, as atividades devem ser retomadas em breve. Agora sob a coordenação do professor de Educação Física da UEL, Denilson de Castro Teixeira. Ele é doutor em Ciências da Saúde e há 15 anos atua no desenvolvimento de projetos na áreas de atividade física e envelhecimento. 

"Nosso foco principal é inserir os idosos em atividades físicas, culturais e intelectuais, para que eles possam ser participativos na comunidade, se sentirem produtivos", destaca Teixeira. "Além dos idosos, quem ganha também é a universidade, que garante a formação de profissionais aptos a atuarem com uma parcela da população que cresce a cada dia." 
Teixeira informa que nos próximos dias os trabalhos devem ser retomadas e definida a data para a abertura das inscrições das atividades, que são gratuitas. Segundo ele, a meta é ampliar o número de idosos atendidos. No ano passado, a Unati UEL atendia 60 idosos, divididos em dois grupos. 
Criada em 1994, sob a coordenação da professora Iolanda Lourenço Leite, a Unati surgiu como um projeto de extensão do Departamento de Serviço Social, mas também contava com colaboradores das áreas de Medicina, Enfermagem, Moda, Artes e Educação Física. Os idosos participavam de aulas práticas, teóricas e atividades de campo, como educação física, oficinas de artes plásticas e artesanato, fotografia, culinária, além de palestras com especialistas de várias áreas. 
"Nosso intuito sempre foi o de trabalhar a questão do envelhecimento, abordando temas como família, sociedade e relações intergeracionais, ajudando o idoso a conhecer melhor essa nova fase da vida", conta a professora de Serviço Social, Sandra Perdigão que, durante os últimos 10 anos esteve na coordenação do programa. As atividades foram suspensas em agosto de 2012, devido ao processo de aposentadoria de Sandra. 

Disposição - Quando participou do programa, Thereza frequentava as oficinas de artes plásticas, artesanato, fotografia, moda, aulas de hidroginástica e ainda acompanhava as palestras. "Eu saía de lá rejuvenescida, mais disposta, com mais equilíbrio e maior destreza. Uma sensação maravilhosa de que você é ainda produtiva", conta, orgulhosa, enquanto mostra as peças artesanais que produziu. 

Terapia - Com os filhos também já encaminhados, como ela mesma conta, a funcionária pública federal aposentada, Eunice Sanada, de 64, passou pela mesma experiência de Thereza em 2009. Encontrou no programa de extensão a oportunidade de aprender e se dedicar um pouco mais à sua grande paixão: a fotografia. 
"Acabou se tornando uma espécie de terapia para mim. Eu ia duas vezes por semana e lá eu tinha a oportunidade de fazer amigos, compartilhar experiências sobre essa nova etapa da vida e ainda ampliar meu conhecimento sobre a técnica fotográfica", salienta Eunice. "Só trouxe bem-estar." 

Eunice detalha que também participava das oficinas de culinária, de atividades físicas, palestras, revelando que não vê a hora do trabalho ser retomado. "Fiquei feliz com a possibilidade das atividades voltarem, porque o processo de envelhecimento é algo inerente a todo ser humano, de todas as classes sociais, e a comunidade precisa disso."
Extraido de:
http://www.folhaweb.com.br/?id_folha=2-1--3634-20130628-2013062814-1-327424


Nenhum comentário:

REFLEXÃO - O PRAZER DE OBEDECER

Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios. [...] Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na Sua lei medita de dia...

AS POSTAGENS MAIS VISITADAS