EVENTOS

quinta-feira, 30 de julho de 2015

BRASÍLIA - IDOSO RECEBE 12 MIL REIS DE INDENIZAÇÃO POR IMPLANTE DENTÁRIO SEM SUCESSO


Reparação de R$12 mil foi motivada após erros cometidos pela clínica odontológica contratada pelo assistido
Cirilo Alves Martins é mais um exemplo de atuação efetiva da Defensoria junto à população. O motorista aposentado, hoje com 83 anos, conseguiu no ano passado uma indenização de R$ 12 mil junto a uma clínica odontológica após um serviço prestado de maneira insatisfatória. O idoso precisou esperar três anos para ter seu processo concluído, mas garante que valeu a pena.
Em 2009, ele precisou fazer quatro implantes dentários. O aposentado chegou a vender seu carro usado para pagar pelos R$ 6,5 mil do tratamento. Quase a totalidade da quantia foi paga à vista, após a realização do último implante mas, meses depois, Cirilo começou a sentir dores muito fortes. “Eu vivia entupido de antibiótico”, recorda o senhor, arrependido de ter realizado o procedimento. Quando procurava o consultório, as explicações eram sempre insatisfatórias. “Eu ia lá e me enrolavam só na conversa. Cheguei a esperar quatro horas para ser atendido”, afirma. Cirilo conviveu com as dores por oito meses, retirando gradualmente os implantes ao longo desse período.
Em 2011 e já sem as próteses, o aposentado decidiu procurar a Defensoria Pública para recuperar na Justiça o dinheiro empenhado no tratamento. A Defensoria conseguiu não só o valor integral da rescisão do contrato, como mais R$ 4 mil de danos morais pela dor e constrangimento que o idoso passou. A indenização, porém, foi reduzida após um acordo com o consultório, que só foi concluído no início de 2014. “Eu fiz um acordo com o advogado do dentista e combinei de receber cinco parcelas de R$ 2,5 mil”, explica Cirilo.
“Demorou, mas valeu a pena”, garante. O aposentado entende que a morosidade se deve às condições atuais do Judiciário, mas está satisfeito com o resultado final. “Fica meu agradecimento a todos os servidores daquele Núcleo, levando em consideração que sou um cidadão idoso, mas mesmo assim fui muito bem atendido.”
Cirilo Alves foi atendido no Núcleo da Ceilândia, perto do local onde mora. O núcleo funciona de segunda a sexta-feira entre 8h e 19h, prestando assistência em casos de família, cível, penal, inventários, violência doméstica e outros assuntos. Você pode entrar em contato com o núcleo pelos números (061) 2196-5150, (061) 2196-4452e (061) 2196-4448.
Matéria por Tainan Pimentel e Valquíria HomeroFotos internet
Da Assessoria de Comunicação
Publicado por Defensoria Pública do Distrito Federal

Nenhum comentário: